Raízes Aéreas

Iron Maiden

In Música pelo mundo on 25 de setembro de 2013 at 15:18

Iron Maiden é uma banda britânica de heavy metal, formada em 1975 pelo baixista Steve Harris, ex-integrante das bandas Gypsy’s Kiss e Smiler. Originária de Londres, foi uma das principais bandas do movimento musical que ficou conhecido como NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal). O nome “Iron Maiden”, homônimo de um instrumento de tortura medieval que aparece no filme O Homem da Máscara de Ferro, baseado na obra de Alexandre Dumas.

Com quase quatro décadas de existência, quinze álbuns de estúdio, seis álbuns ao vivo, quatorze vídeos e diversos compactos, o Iron Maiden é uma das mais importantes e bem sucedidas bandas de toda a história do heavy metal, tendo vendido mais de 100 milhões de álbuns registrados em todo o mundo. Seu trabalho influenciou diversas bandas de rock e metal. São citados como influência por diversas bandas, antigas e modernas.

Em 2002, a banda recebeu o prêmio Ivor Novello em reconhecimento às realizações em um parâmetro internacional como uma das mais bem-sucedidas parcerias de composição da Inglaterra. Durante a turnê americana de 2005, foi adicionada à Calçada da Fama do Rock de Hollywood. Em 2011, ganharam seu primeiro Grammy por “El Dorado”. A banda também está presente nas principais listas de maiores bandas de rock de todos os tempos, assim, sendo considerada pela MTV a 4ª maior banda de heavy metal de todos os tempos.

O Maiden já encabeçou diversos grandes eventos, entre eles Rock in Rio, Monsters of Rock em Donington, Ozzfest, Wacken Open Air, Gods of Metal, Download Festival e os Festivais de Reading e Leeds.

História

O Iron Maiden formou-se no dia de Natal de 1975, logo após o baixista Steve Harris deixar o seu antigo grupo, Smiler. Depois de ter suas composições rejeitadas por várias bandas nas quais participava, por considera-las difíceis e complicadas demais, Steve Harris decidiu criar sua própria banda. Harris atribuiu o nome Iron Maiden inspirado no filme O Homem da Máscara de Ferro (1939) que por sua vez é baseado na obra de Alexandre Dumas, além da óbvia conexão verbal com o instrumento de tortura de mesmo nome.

O início

A primeira apresentação da banda aconteceu num lugar chamado St Nicks Hall, em Poplar (East End, Londres) no dia 1 de maio de 1976. Depois disso, a banda continuou fazendo apresentações no Cart and Horses Pub em Maryland Point (Stratford, Londres). A formação original da banda juntava Steve Harris a Paul Day (vocal), Dave Sullivan e Terry Rance (guitarras) e Ron Matthews (bateria). Paul Day foi mais tarde substituído por Dennis Wilcock (grande admirador do Kiss) que usava fogo, maquiagem e sangue falso no palco e que trouxe Dave Murray para a banda, tendo como consequência a saída da primeira dupla de guitarristas. Murray permanece no grupo até hoje. Bob Sawyer entrou na banda no final de 1976 como segundo guitarrista; mas, como tinha desentendimentos com Murray, fez Dennis Wilcock se opor a Dave, e então Dennis sugeriu a expulsão dele. Bob não ficou para trás e por suas atitudes errôneas no palco (como fingir tocar a guitarra com os dentes), foi junto em julho de 77. Ron Matthews aguentou um pouco mais. Havia um guitarrista de uma banda chamada Hooker que o Maiden via tocar nos pubs: Terry Wapram. Após uma audição, a banda convidou-o para entrar e Wapram realizou alguns shows como único guitarrista. Pouco após isso, Ron saiu (não se sabe ao certo se por influência de Wilcock, como relatou no Early Days). Dave Murray juntou-se ao seu amigo Adrian Smith na banda Urchin em 1977, enquanto que os Iron Maiden passavam um mau bocado: Steve e Dennis chamaram Thunderstick (Barry Graham) (bateria) Tony Moore (teclado), mas após um concerto perceberam que o teclado não seria um bom substituto para a segunda guitarra. A banda ficou descontente e o clima foi ficando ruim até que após poucos ensaios, Moore decidiu sair. Nesse momento, Harris foi a um ensaio do Urchin para chamar Murray de volta para banda, o que aconteceu com sucesso. Mas Wapram, indignado porque perderia parte das atenções, não aceitou Murray de volta e foi convidado a sair. Com Murray de volta e apenas 4 integrantes, a banda decide marcar um show no Bridgehouse e outro no pub Green Man. O primeiro foi um fiasco, depois do baterista ter errado em várias músicas e gritar para o público se calar. Nessa época Wilcock já havia espalhado para alguns fãs que pretendia sair da banda, e o show havia gerado alguma expectativa em torno disso também. Foi o que aconteceu. No intervalo entre o Bridgehouse e o Green Man, Dennis não disse nada e não compareceu no pub. Harris foi até sua casa, mas o vocalista se negou a cantar um último show. Arrasado, Harris voltou para cumprir com o acordo e os Maiden se apresentaram como um trio em Abril de 78, com Harris, Murray e Thunderstick. Steve expulsou o baterista, já contando com Doug Sampson para o posto. Com esse novo trio, os Maiden passariam cerca de 6 meses ensaiando antes de tocar ao vivo ou arrumar qualquer outro integrante.

Anos dourados

O Iron Maiden nunca foi conhecido por usar drogas, e eram extremamente perfeccionistas no palco e estúdio. O vocalista Paul Di’anno, por outro lado, sempre mostrou um comportamento autodestrutivo, particularmente no que diz respeito ao uso da cocaína, afetando consideravelmente suas apresentações. Justamente quando a banda começava a ficar famosa nos Estados Unidos, Dianno foi demitido do Maiden por “não ter energia e carisma no palco”. Em 1982, a banda substituiu Dianno pelo vocalista do Samson, Bruce Dickinson. Bruce entrou na banda, mas exigiu ficar com cabelo comprido e disse que só iria usar as roupas que ele gostava, já demonstrando muita atitude, traço característico de sua personalidade, o que geraria algumas polêmicas anos mais tarde.

Dickinson mostrou uma diferente interpretação das canções da banda, dando-lhes um tom mais melódico. O álbum de estreia de Dickinson nos vocais do Maiden foi em 1982, com The Number of the Beast. Este se tornou o álbum mais aclamado da banda, bem como o mais vendido, com dezesseis milhões de cópias mundialmente. Canções conhecidas do álbum incluem os singles “The Number of the Beast” e “Run to the Hills”, bem como “Hallowed Be Thy Name”, presente em todos os shows desde seu lançamento até 2012, quando a banda parou de tocá-la na “Maiden England World Tour”, e “Children of the Damned”. Pela primeira vez, a banda saiu em uma turnê mundial, visitando os Estados Unidos, Japão e Austrália, tocando em estádios e fazendo começar a chamada Maidenmania. Foi nessa época também que alguns grupos religiosos começaram a acusar a banda de ter um cunho satânico, afirmando que as letras do Maiden estavam repletas de cantos demoníacos, invocando o demônio e vandalizando a mente da juventude. Toda essa polêmica surgiu por causa da canção “The Number of the Beast”, pois foi justamente a alusão explícita ao Número da Besta (666) que fez a trilha fazer sucesso. Mas na verdade a canção foi feita a partir de um pesadelo que o baixista Steve Harris teve após ver o filme A Profecia 2.

Nessa mesma turnê, o produtor Martin Birch se envolveu em um acidente de carro com alguns fãs. O reparo do carro foi uma bizarra coincidência, contabilizado como £666, um preço que Birch se recusou a pagar, optando pelo valor de £668.

Apesar das polêmicas, o ator Patrick McGoohan não se importou em permitir que uma famosa frase sua da série, The Prisoner (O Prisioneiro), da qual era o ator principal, fosse usada no início da música de mesmo nome.

Mudança

Para substituir Bruce, em 1994 houve testes para escolher o novo vocalista do Iron Maiden. O vencedor da disputa foi o até então desconhecido vocalista da banda Wolfsbane (que chegou a abrir shows para o Maiden), Blaze Bayley. Blaze mostrava um vocal semelhante ao de Bruce, porém um pouco mais grave, e por isso algumas canções na banda seguiram um aspecto sombrio para combinar com seu timbre de voz.

The X Factor (1995)

A decisão não agradou os fãs do Maiden, que já estavam acostumados com o vocal marcante de Dickinson. Após uma parada, a banda retornou em 1995 com o álbum The X Factor. Este disco tem a sonoridade mais distinta em toda a discografia da banda. O baixista Steve Harris passava por sérios problemas pessoais com seu divórcio e a morte de seu pai, o que resultou em canções obscuras, depressivas e lentas (o álbum contém quatro faixas sobre guerras). O disco teve dois singles, “Man on the Edge” e “Lord of the Flies”, e a faixa de abertura, “Sign of the Cross”, a última com onze minutos, cantos gregorianos e alterações bruscas de andamento, permaneceu no setlist da banda pelas próximas três turnês. A turnê passou por locais nunca visitados pelo Maiden antes como África do Sul, Israel e outros países asiáticos, e passou novamente por Brasil e Portugal.

Retorno

Em 1999, Blaze Bayley se afastou da banda, aparentemente por consenso mútuo. Meses depois, a banda anunciou que Bruce Dickinson e o guitarrista Adrian Smith estavam retornando, o que significava que a formação clássica estava de volta, com a adição de Janick Gers, que Smith pediu para continuar. Logo depois do anúncio, o grupo fez uma turnê mundial, promovendo a compilação Ed Hunter.

Dance of Death (2003)

Em 2003 foi lançado Dance of Death, que ganhou disco de ouro em diversos países. O conjunto também conseguiu promover alguns vídeos musicais na MTV trazendo novos fãs para a banda. Tanto Brave New World quanto Dance of Death foram considerados pelo site Metal-Rules.com como os melhores álbuns de Metal de 2000 e 2003, respectivamente.

Em 2005, o Maiden anunciou uma turnê em comemoração aos 25 anos do lançamento do primeiro álbum e o trigésimo aniversário da primeira formação. A banda foi para a turnê mundial para divulgar seu novo DVD, intitulado The Early Days, em que o grupo celebra as músicas do período de 1976-1983. Também foi lançado um álbum ao vivo gravado na turnê do Dance of Death intitulado Death on the Road, que mais tarde foi lançado em DVD.

The Final Frontier (2010)

Durante a turnê Somewhere Back In Time em 2008, Bruce Dickinson anunciou nos concertos que ainda no mesmo ano começariam os preparativos para um novo álbum. No ano seguinte, Dickinson anunciou que um novo álbum chegaria em 2010, e Harris declarou em uma entrevista que já haviam reservado um estúdio.

Em 5 de junho de 2010, o site oficial da banda revelou capa, data de lançamento e faixas do álbum The Final Frontier, bem como disponibilizou a faixa “El Dorado” para download. 4 dias depois, iniciaram uma turnê mundial para promoção do álbum, The Final Frontier World Tour em Dallas, Estados Unidos. A turnê passou em 2011 pelo Brasil e por Portugal.

The Final Frontier foi lançado em agosto de 2010, e estreou no topo das paradas de 30 países. O álbum marcou um retorno da banda ao Compass Point Studios para as gravações.

Após concluída a turnê, a banda lançou um DVD com a apresentação no Estadio Nacional de Chile em 10 de Abril de 2011, em Santiago, com o título En Vivo!, em 26 de Março de 2012. Além do show, o DVD conta também com um documentário contando os bastidores da tour, o clipe promocional e o making of de “Satellite 15…The Final Frontier” e um vídeo da introdução dos shows.

Em 2012 a banda iniciou a Maiden England World Tour, em que fazem um digressão baseada no Vídeo de 1989 Maiden England. Inicialmente a turnê passou somente pela América do Norte, mas no ano seguinte eles foram à Europa e América do Sul.

Mascote da banda

O mascote da banda é um morto-vivo chamado Eddie the Head. Ele aparece nas capas de todos os álbuns e singles do Iron Maiden, o único single que não aparece o Eddie na capa é a canção “Wasting Love”. Eddie é originalmente criação de Derek Riggs, mas já teve traços de vários artistas, como Melvyn Grant no álbum Fear of the Dark. Ele também estrelou um jogo de tiro chamado Ed Hunter, além de diversas histórias em quadrinhos.

A banda tinha originalmente uma grande máscara (Noh) de uma carriola que ficava embaixo das baterias nas apresentações, e que por tubos soltava sangue falso (tinta vermelha) pelo nariz, sujando todo o cabelo do baterista Doug Sampson. A máscara foi batizada de “Eddie, a Cabeça” (Eddie the Head) e acabou se transformando no mascote da banda. Acabaria ganhando um corpo somente a partir da capa dos primeiros compactos.

Uma curiosidade é que o personagem do jogo Brütal Legend, Eddie Riggs tem seu primeiro nome em homenagem ao mascote, e o sobrenome em homenagem ao seu criador (Derek Riggs).

Formação atual

Baixo e backing vocals: Steve Harris (Desde 1975)
Guitarra: Dave Murray (Desde 1976)
Guitarra: Janick Gers (Desde 1990)
Guitarra e backing vocals: Adrian Smith (1981-1990, 1999-Hoje)
Bateria: Nicko McBrain (Desde 1982)
Vocal: Bruce Dickinson (1981-1993, 1999-Hoje)

Membros ao vivo

Teclado: Michael Kenney (Desde 1986)

Álbuns de estúdio

1980 – Iron Maiden
1981 – Killers
1982 – The Number of the Beast
1983 – Piece of Mind
1984 – Powerslave
1986 – Somewhere in Time
1988 – Seventh Son of a Seventh Son
1990 – No Prayer for the Dying
1992 – Fear of the Dark
1995 – The X Factor
1998 – Virtual XI
2000 – Brave New World
2003 – Dance of Death
2006 – A Matter of Life and Death
2010 – The Final Frontier

Fonte da Bio: Wikipédia.
Atualizado em 24/05/2014.

Fotos

__________

Vídeos

__________

Run to the Hills

The Number of the Beast

The Trooper

2 Minutes to Midnight

Fear of the Dark

Hallowed Be Thy Name

Aces High

The Wicker Man

Wasted Years

The Evil That Men Do

Topo

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: