Raízes Aéreas

Alice in Chains

In Música pelo mundo on 27 de fevereiro de 2013 at 21:08

Alice in Chains é uma banda norte-americana de rock formada em 1987 em Seattle, Washington, pelo vocalista Layne Staley e o guitarrista Jerry Cantrell. Apesar de vastamente associada ao grunge, o som da banda incorpora elementos do heavy metal e hard rock, produzindo também um som mais acústico, pós-punk. A banda alcançou fama internacional como parte do movimento grunge do início da década de 1990, ao lado de bandas como Nirvana, Soundgarden e Pearl Jam. É uma das bandas mais bem sucedidas comercialmente da década de 1990, tendo vendido aproximadamente 18 milhões de álbuns ao redor do mundo, além de ter dois álbuns na primeira posição daBillboard 200 (Jar of Flies e Alice in Chains), onze singles nas dez primeiras posições na parada Mainstream Rock Tracks e oito indicações ao Prêmio Grammy.

A banda nunca se separou oficialmente, mas ficou por muitos anos inativa devido aos problemas de Layne Staley com drogas, os quais culminaram em sua morte, em 2002. Os integrantes remanescentes reuniram-se novamente em 2005, e em 2009 terminaram a gravação de seu primeiro álbum de estúdio em quatorze anos, com William DuVall como o novo vocalista e também guitarrista. O álbum, intitulado Black Gives Way to Blue, foi lançado em setembro de 2009 pela Virgin/EMI.

Começo de carreira (1987 – 1991)

Tudo começou no inverno de 1987, quando o guitarrista Jerry Cantrell foi a uma festa em Seattle onde conheceu um homem de cabelo rosa claro que estava no centro de tudo; tratava-se do vocalista Layne Staley. “Ele tinha um grande sorriso no rosto, e estava sentado ao lado de duas mulheres maravilhosas”, lembra Cantrell. Cantrell não tinha um lugar para morar e foi acolhido por Staley, que o levou a sua residência: um estúdio de ensaios sujo e cheirando a urina chamado Music Bank, localizado em um armazém, onde os dois passaram a viver. Logo, Cantrell o convidou para cantar em sua banda de glam metal chamada Diamond Lie, já que Staley estava saindo de uma outra banda do mesmo sub-gênero. Mike Starr, conhecido de Jerry, havia tocado em outras bandas do mesmo estilo, como Sato e Gypsy Rose, e logo aceitou tocar baixo na banda, trazendo, ainda, o baterista Sean Kinney, que namorava sua irmã. Os concertos da banda, nessa época, consistiam em covers que, de acordo com a imprensa local, ganhavam “nova vida” quando eram tocados pelo Diamond Lie. Cantrell comentou à RIP Magazine, em 1993, quanto às motivações iniciais na formação da banda:

“Vamos formar uma banda, escrever umas canções, tocar em alguns clubes para conseguirmos cerveja e mulheres”. Sério, era por aí. Nós fizemos isso por um ano e meio, só tocando e, então, finalmente começamos a considerar até onde queríamos ir musicalmente. Foi meio que algo natural, nada que tenha sido pensado. Foi algo que acontece somente quando você passa tempo com pessoas e começam a crescer juntos.

No ano seguinte, a banda mudou seu nome tendo como inspiração “Alice n’ Chains“, nome da antiga banda de Staley, tornando-se Alice in Chains e passando a gravar demos com canções que mais tarde apareceriam nos álbuns oficiais da banda.

Já tendo certa notoriedade na cena local, apresentando-se em bares e pequenos clubes, em 1989, decidiram gravar seu próprio álbum independente e tentar distribuí-lo localmente, mas, antes do álbum ser lançado, o grupo assinou com a Columbia Records. Seu primeiro trabalho oficial foi o EP “We Die Young”, em julho de 1990. A faixa-título se tornou um hit moderado em rádios americanas mais pesadas, apenas preparando caminho para o lançamento do álbum Facelift em agosto daquele mesmo ano.

Facelift foi bem recebido pelo público e a banda começou uma turnê com Iggy Pop em novembro, apresentando as canções “Dirt” e “Rooster” ao público, que não dá a mínima. Em dezembro, o concerto lotado no Moore theater, emSeattle, é gravado pelo diretor Josh Taft e lançado como Live Facelift, o primeiro lançamento em vídeo do grupo.

Enquanto isso, o álbum produz o inesperado hit “Man in the Box”, tendo uma escalada de 26 semanas até o Top 20 e cujo vídeo recebeu grande exibição na MTV. Tendo suporte de turnês com Extreme, Megadeth em algumas datas e depois com a turnê Clash of the Titans (que contava com Slayer, Anthrax e Megadeth), e Van Halen, Facelift chegou ao disco de ouro.

No começo de 1992, a banda lançou um inesperado EP de composições semi-acústicas, denominado Sap, gravado em apenas dois dias. e intitulado devido a um sonho do baterista Sean Kinney, no qual a banda chamava o novo álbum como Sap. O álbum contava com as participações de Ann Wilson do Heart, juntando-se a Staley e Cantrell no refrão de “Brother” e “Am I inside”, assim como Chris Cornell do Soundgarden e Mark Arm do Mudhoney, que apareceram na canção “Right Turn” (creditados no encarte como Alice Mudgarden).

Anos grunge: fama e sucesso no mainstream (1992-1994)

O grupo recebeu mais exposição em 1992 quando uma de suas novas canções, “Would?”, apareceu na trilha sonora de Vida de Solteiro, um filme do diretor Cameron Crowebaseado nas vidas dos solteiros de Seattle. A banda também apareceu no filme, tocando as canções “Would?” e “It Ain’t Like That” durante uma das cenas que ocorre num clube. O lançamento prévio de “Would?” ajudou a criar antecipação pelo próximo LP do grupo.

O álbum Dirt, lançado na primavera de 1992, exemplifica o som pesado guiado pela guitarra e cheio de distorções, ao mesmo tempo em que abre espaço para as harmonias vocais cada vez mais complexas de Staley e Cantrell. Foi um sucesso tanto de crítica quanto comercial, ganhando disco de platina após menos de 2 meses de seu lançamento, e continua sendo o álbum mais bem sucedido da banda até hoje. Entretanto, as letras obscuras, a maior parte tratando de isolação e vício, aumentaram as especulações de que Staley era um viciado em heroína. Agora se sabe que esta especulação estava correta.

Para a divulgação desse álbum, a banda saiu em turnê com Ozzy Osbourne. Durante esta turnê, Layne quebrou seu pé e completou a turnê usando uma cadeira de rodas e muletas, não perdendo nenhuma data. Camisetas da turnê mostravam o raio-X do pé quebrado do vocalista. Depois, o grupo teve uma passagem pelo Brasil no festivalHollywood Rock, no Rio de Janeiro e São Paulo, em 1993. Após estas datas, Mike Starr deixou o grupo devido às turnês intensas e eventualmente se juntou à banda de hard rock Sun Red Sun. Starr foi logo substituído temporariamente pelo baixista da banda de Ozzy Osbourne, Mike Inez. Quando a banda entrou em estúdio em 1993 e compôs duas novas canções, “What the Hell Have I” e “A Little Bitter”, para a trilha sonora do filme com Arnold Schwarzenegger, O Último Grande Herói, Inez (que co-escreveu “A Little Bitter”) foi confirmado como novo baixista da banda.

Durante o verão de 1993, Alice in Chains se juntou a bandas como Primus, Tool, Rage Against the Machine e Babes in Toyland para o festival de música alternativa Lollapalooza, no qual a banda foi muito bem recebida.

Após suas explosivas performances na turnê Lollapalooza, a cena musical alternativa clamava por outro lançamento pesado, nervoso e barulhento do quarteto de Seattle. Em janeiro de 1994, entretanto, a banda surpreendeu fãs e críticos com Jar of Flies, que trazia um retorno aos arranjos mais acústicos e leves, canções bem desenvolvidas completadas com sutis arranjos de cordas, misturados com pontos de exclamação dos ataques de guitarra, a assinatura de Cantrell, e os vocais de Staley.

Lançado como um EP, ainda que tivesse qualidade de álbum em design e duração, Jar of Flies estreou como n.º 1 nas listas de vendas de álbuns da Billboard, o primeiro EP na história a alcançar tal posição. Evoluindo do som alternativo e progressivo da primeira faixa para baladas mais tradicionais, o álbum parece prestar homenagem às raízes musicais de Cantrell, sendo escrito e gravado em uma semana.

Os Alice in Chains estavam programados para sair em turnê durante o verão de 1994 com Metallica e a atração de abertura Suicidal Tendencies, mas desistiram antes do começo da turnê, dando gás aos rumores de vício de drogas. Danzig substituiu Alice in Chains em algumas datas, enquanto outras foram tocadas pelo Candlebox.[32] A banda ficou um bom tempo fora da estrada, o que fez aumentar especulação quanto ao vício de Staley. Nessa época, as tensões internas levaram a banda a debandar, o que efetivamente durou apenas seis meses.

Hiato e a morte de Layne Staley (1998 – 2002)

Os membros restantes da banda quiseram mantê-la unida e tentaram manter contato com Staley, mas ficou claro que seus problemas de saúde não o permitiriam retornar ao trabalho em pouco tempo. Cantrell, então, passou a se dedicar a outros projetos, gravando seu primeiro álbum solo em 1998, sob o título de Boggy Depot. Devido à colaboração significativa do baixista Mike Inez, do baterista Sean Kinney e do produtor Toby Wright ao álbum, este conta com uma faixa não lançada das sessões do álbum auto-intitulado Alice in Chains (“Settling Down”).

Em 1998, Staley se reuniu com os outros membros do grupo pela última vez para gravar duas canções inéditas: “Get Born Again” e “Died”. Estas canções foram lançadas em 1999 no box-set Music Bank. A compilação continha 48 canções, incluindo raridades, velhas demos, as duas novas canções, e a maior parte das faixas contidas nos álbuns da banda. O grupo também lançou Nothing Safe: The Best of the Box, que serviu como um aperitivo de 15 canções para o Music Bank, assim como sua primeira compilação de melhores canções. As duas novas músicas seriam as últimas que Staley gravaria, enquanto Music Bank seria o último lançamento de novo material de estúdio da banda com o vocalista. Em 2000, o álbum ao vivo Live, contendo canções tocadas em shows de 1990 a 1996, e outra coletânea dos 10 maiores hits da banda, Greatest Hits, em 2001, finalizaram os lançamentos oficiais do grupo no período.

Apesar de a banda não ter acabado oficialmente na época, Staley seguiu cada vez pior dentro de depressão quando sua ex-noiva, Demri Parrott, morreu de endocardite infecciosa em 1996. Ele, assim, tornou-se recluso, raramente deixando seu apartamento em Seattle. A possibilidade da reunião completa do Alice in Chains finalmente terminou em 20 de abril de 2002, quando Staley foi encontrado morto em seu condomínio em consequência de uma overdose letal por combinação de heroína e cocaína (Speedball). A perícia aproximou a data do óbito de Staley para 5 de abril, pois o corpo já se encontrava em estado de decomposição. Coincidentemente, foi a mesma data aproximada da morte de Kurt Cobain, oito anos antes.

Cantrell, abalado pela morte de seu amigo e companheiro de banda, dedicou seu segundo álbum solo, Degradation Trip (2002), totalmente a Staley. O álbum foi lançado aproximadamente dois meses após o falecimento de Staley como um disco único, e mais tarde relançado, como havia sido originalmente planejado e com canções a mais, como um disco duplo. Ainda que algumas canções no álbum pareçam ter sido escritas sobre a morte do companheiro de banda de Cantrell (“Thinking ‘bout my dead friends whose voices ring on” em “Psychotic Break”, por exemplo), Degradation Trip foi completamente gravado antes do falecimento de Staley.

Últimos anos

A banda pretendia entrar em estúdio para gravar o novo álbum na época de festas de 2007, visando lançamento em 2008, porém, ao invés disso, passou o final de 2007 e o primeiro semestre de 2008 gravando demos para as novas canções. Em 23 de outubro de 2008, o grupo começou a gravar o novo álbum com o produtor Nick Raskulinecz (Foo Fighters, Rush, Stone Sour, Mondo Generator), e 20 canções estariam sendo consideradas para inclusão no lançamento em 2009. As gravações para o novo álbum terminaram em 18 de março de 2009 no Studio 606 em Los Angeles, e o processo de mixagem no Henson Studios em Hollywood foi concluído em abril. Em 25 de abril, foi confirmado que o lançamento do novo álbum do Alice in Chains aconteceria em setembro, pelo selo Virgin/EMI, marcando a primeira mudança de gravadora em seus mais de vinte anos de carreira. Em 11 de junho, foi revelado que o álbum se chamaria Black Gives Way to Blue, com lançamento para 29 de setembro de 2009. Em 30 de junho, uma das faixas, “A Looking in View”, foi lançada como single do álbum por tempo limitado como um download grátis através do website oficial da banda, que também estreou o vídeo para a canção em 7 de julho. O segundo single, “Check My Brain”, foi lançado para as rádios em 14 de agosto e disponibilizado para compra três dias depois. Além disso, foi anunciado que Elton John participa da faixa-título.

Em 2009, a banda participou como sendo uma das atrações principais do Soundwave Festival na Austrália, junto de Nine Inch Nails, Scars On Broadway e Lamb of God; também se apresentaria no festival Rock On the Range, ao lado de Mötley Crüe, Avenged Sevenfold, Slipknot e Korn.

Para coincidir com a turnê europeia da banda, foi lançado o terceiro single de Black Gives Way To Blue, “Your Decision”, em 16 de novembro no Reino Unido e em 1 de dezembro nos Estados Unidos.

A 11 de janeiro de 2012, Jerry Cantrell, em entrevista à Rolling Stone, declara estar trabalhando num novo disco da banda e que a inatividade do grupo em estúdio (haja vista o lançamento de EPs entre os álbuns principais nos anos 90 até o hiato musical) é devido a uma cirurgia no ombro a que o guitarrista fora submetido. Ele, contudo, ressalta a produção de material nesse tempo longe do estúdio e mesmo antes da intervenção médica.  Passados cerca de onze meses após a entrevista, o site oficial da banda postou um vídeo com uma música inédita, anunciada dias antes em seu twitter. O vídeo, resultante de um concurso no Instagram em que foram feitas montagens das letras com imagens e sincronizadas com a música, confirmava o retorno do grupo ao estúdio e a proximidade do lançamento do novo disco. Juntamente ao vídeo, foi divulgada a data de lançamento da nova música e confirmado o sucessor de Black Gives Way to Blue (ainda sem nome definido).

Hollow foi disponibilizada no iTunes a partir de 8 de janeiro de 2013. Está previsto o lançamento do novo disco para a primavera de 2013.

Integrantes

Jerry Cantrell — guitarra, vocal (1987—2002, 2005—presente)
Sean Kinney — bateria, percussão (1987—2002, 2005—presente)
Mike Inez — baixo, vocal de apoio (1993—2002, 2005—presente)
William DuVall — vocal, guitarra (2006—presente)

Ex-integrantes

Jerry Cantrell — guitarra, vocal (1987—2002, 2005—presente)
Sean Kinney — bateria, percussão (1987—2002, 2005—presente)
Mike Inez — baixo, vocal de apoio (1993—2002, 2005—presente)
William DuVall — vocal, guitarra (2006—presente)

Membros de turnê

Maynard James
KeenanPhil
Anselmo James Hetfield

Álbuns de estúdio

1990 Facelift
1992 Dirt
1995 Alice in Chains
2009 Black Gives Way to Blue

Álbuns ao vivo

1996 Unplugged
2000 Live

Fonte: Wikipédia.

F o t o s

__________

V í d e o s

__________

Would?

Man in the Box

Rooster

Them Bones

Down in a Hole

No Excuses

Angry Chair

Nutshell

Heaven Beside You

I Stay Away

Topo

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: