Raízes Aéreas

The Smiths

In Música pelo mundo on 10 de março de 2012 at 1:49

The Smiths foi uma banda de rock alternativo britânica formada em Manchester em 1982. A base principal do grupo era a parceria nas composições de Morrissey (vocal) e Johnny Marr (guitarra), a banda também incluía Andy Rourke (baixo) e Mike Joyce (bateria). Alguns críticos consideram como a banda de rock alternativo mais importante a surgir no cenário britânico de música independente dos anos 80. Em dezembro de 1982 o grupo procurava uma gravadora e tentou impressionar a EMI enviando uma demo tape, porém não houve sucesso. Por fim, o grupo assina com a gravadora independente Rough Trade Records, sendo que desta parceria foram lançados quatro álbuns de estúdio e compilações diversas, bem como alguns singles. A banda se separou em 1987 em meio a um crescente número de desentendimentos entre Morrissey e Marr. Entre seus principais sucessos destacam-se as canções The Boy With The Thorn In His Side, How Soon Is Now, This Charming Man, Ask, Heaven Knows I’m Miserable Now, Bigmouth Strikes Again, Panic e There Is a Light That Never Goes Out.

Formação e primeiros singles

A banda nasceu no início de 1982 e era formada inicialmente por Steven Patrick Morrissey, um grande fã da banda New York Dolls e da banda punk rock The Nosebleeds, e pelo guitarrista John Maher, que posteriormente mudou seu nome para Johnny Marr para não ser confundido com John Maher baterista dos Buzzcocks. As primeiras demo tape gravadas foram com o baterista Simon Wolstencroft, sendo que este posteriormente se tornou um membro da banda The Fall. No outono de 1982, Wolstencroft foi substituído por Mike Joyce, um ex-membro das bandas punk The Hoax e Victim. Além de Joyce, Morrissey e Marr recrutaram o baixista Dale Hibbert que trabalhava como engenheiro de gravação em um estúdio de gravação, facilitando assim o acesso da banda a gravação de demos tape. Porém, após um show, um amigo de Johnny Marr, Andy Rourke, assume o posto de baixista no lugar de Dale Hibbert.

O nome da banda foi escolhido como uma maneira de contrapor os nomes pomposos e extravagantes usados por bandas de synthpop que estavam em voga no início dos anos 1980, tais como Orchestral Manoeuvres in the Dark e Spandau Ballet. Em uma entrevista em 1984 Morrissey afirmou que escolheu o nome The Smiths “… porque era um nome comum” e porque ele imaginava que era “… o tempo em que pessoas comuns do mundo mostrariam seus rostos.” Após assinar o contrato com a gravadora independente Rough Trade Records é lançado o primeiro single, “Hand in Glove“, em maio de 1983. Esse primeiro single foi aclamado pelo conhecido e influente DJ da rádio BBC John Peel, assim como foram todos os outros singles lançados depois, porém, o single não alcançou uma posição favorável no UK Singles Chart. A seguir os singles “This Charming Man” e “What Difference Does It Make?” conseguiram uma melhor posição, respectivamente a posição 25 e 12 no UK Singles Chart.

The Smiths

Em fevereiro de 1984, o grupo lançou seu primeiro álbum com o mesmo nome do grupo, The Smiths. Este chegou a número dois no UK Albums Chart e foi aclamado pela crítica. O disco foi motivo de alguma controvérsia por causa das músicas “Reel Around the Fountain” e “The Hand That Rocks the Cradle“, com alguns tablóides britânicos alegando que as músicas evocavam elementos condenscentes a pedofilia, algo rejeitado e negado pelo grupo.

O álbum foi seguido no mesmo ano pelo lançamento dos singles “Heaven Knows I’m Miserable Now” e “William, It Was Really Nothing“, que contou com “How Soon Is Now?” no seu lado-B. Sendo “Heaven Knows I’m Miserable Now” o primeiro single da banda a alcançar o TOP 10 da UK Charts. Também representa um momento significativo por marcar o início do relacionamento entre o produtor Stephen Street e a banda.

Outra música que procovou polêmica foi o lançamento de “Suffer Little Children“, que tinha como tema uma série de assassinatos de crianças e adolescentes ocorridos em Manchester nos anos 60, crimes esses cometidos pelo casal Ian Brady e Myra Hindley. Os assassinatos ficaram conhecidos na Inglaterra como “Moors Murders”. Isso causou um desentendimento depois que o avô de uma das crianças assassinadas ouviu a música e entendeu que a banda estava tentando comercializar os assassinatos. Após o encontro com Morrissey, ele aceitou que a canção era uma exposição sincera sobre o impacto dos assassinatos. Morrissey posteriormente estabeleceu uma amizade com Ann West, a mãe da vítima Lesley Ann Downey, que é mencionado por nome na música.

O ano terminou com o lançamento da coletânea Hatful of Hollow. Uma compilação de singles já lançados, B-sides e versões de músicas que foram gravadas ao longo do ano anterior para apresentações em programas de rádio de John Peel e David Jensen.

Carreiras pós-Smiths

Pouco depois do lançamento de Strangeways, a banda foi o tema de um documentário em artes LWT vertente The South Bank Show, transmitido pela ITV, em 18 de Outubro de 1987.

Após o fim do grupo, Morrissey começou a trabalhar em uma gravação a solo, colaborando com o produtor Stephen Street e companheiro de Manchester Vini Reilly, guitarrista do The Durutti Column. O álbum resultante, Viva Hate (uma referência ao fim dos Smiths), foi lançado seis meses depois, alcançando o número um nas paradas britânicas. Morrissey continua a tocar e gravar como artista solo. Em 1994, um dueto entre Morrissey e Siouxsie chegou às lojas, “Interlude”.

Johnny Marr retornou à cena musical em 1989 com Bernard Sumner, vocalista da banda britânica New Order e o Pet Shop Boy Neil Tennant no supergrupo Electronic. Electronic lançou três álbuns durante a próxima década. Ele também trabalhou como músico e colaborador escrevendo para artistas como The Pretenders, Bryan Ferry, Pet Shop Boys, Billy Bragg, Black Grape, Talking Heads, Crowded House e Beck. Em 2000, ele começou outra banda, Johnny Marr e os curadores, com um grau moderado de sucesso, e mais tarde trabalhou como músico convidado no álbum do Oasis Heathen Chemistry.

Além de seu trabalho como artista, Marr já trabalhou como produtor musical do álbum de estréia Haven Entre os sentidos. Em 2006 ele começou a trabalhar com o Modest Mouse Isaac Brock em músicas que eventualmente apresentado no lançamento da banda de 2007, We Were Dead Before afundou o navio mesmo. A banda anunciou subsequentemente que Marr era um membro de pleno direito, e a linha reformada-up excursionou extensivamente em todo 2006-07. Marr também foi gravar com Liam Gallagher, do Oasis. Em janeiro de 2008, foi relatado que Marr tinha acrescentado a sua habilidade e experiência para uma sessão secreta com composições Wakefield do grupo indie The Cribs. Fontes revelaram que eles trabalharam juntos por uma semana no estúdio de gravação Moolah Rouge em Stockport, e tinha escrito uma série de músicas novas. Marr tornou-se um membro pleno da The Cribs.

Andy Rourke e Mike Joyce continuaram trabalhando juntos, incluindo sessões de trabalho a fazer para Morrissey (1988-89) e Sinéad O’Connor, bem como trabalhar em separado. Rourke já gravou e excursionou com o Proud Mary e atualmente está formando um grupo chamado Freebass com os colegas baixistas Peter Hook (do New Order e do Joy Division) e Mani (do The Stone Roses e do Primal Scream). Ele começou uma carreira no rádio, apresentando um programa nas noites de sábado na XFM Manchester. Ele agora vive em Brooklyn, em Nova Iorque, e tem um programa de rádio semanal sobre o eastvillageradio.com.

Caso do Tribunal

Em 1996, Joyce levou Morrissey e Marr aos tribunais, alegando que não tinha recebido a sua parte dos direitos de gravação e performance, ou seja, iguais 25 por cento para cada membro do grupo em vez de dez por cento para Joyce e Rourke. Os royalties das composições não eram um problema, como Rourke e Joyce nunca haviam sido creditados como compositores da banda. Morrissey e Marr alegaram que os dois outros membros da banda sempre concordaram com a divisão dos royalties, mas o tribunal decidiu a favor de Joyce e ordenou que ele fosse pagar mais de £ 1 milhão em salários atrasados e recebem 25 por cento, doravante . Como royalties Smiths tinham sido congelados por dois anos, Rourke resolvida por uma pequena quantia para pagar suas dívidas e continuou a receber dez por cento. Depois deste caso do tribunal, Morrissey afirmou que “The Smiths foi uma coisa linda que Johnny (Marr) deixou, e Mike (Joyce) destruiu.” Morrissey recorreu contra a sentença, mas não obteve sucesso.

No final de novembro de 2005, ao aparecer na estação de rádio BBC 6 Music, Mike Joyce alegou estar tendo problemas financeiros e disse que havia reservado a venda de gravações raras da banda no eBay. Como teaser, a poucos minutos de uma faixa instrumental inacabado conhecido como “The Click Track” foi premiado na mostra. Morrissey bateu para trás em Joyce, com uma declaração pública, pouco depois, no site true-to-you.net. As relações entre Joyce e Rourke arrefecido significativamente como resultado da afirmação de Morrissey, que alegou que Joyce havia enganado os tribunais. Morrissey Joyce alegou que não tinha declarado que Rourke tinha o direito de alguns dos bens apreendidos pelos advogados de Joyce de Morrissey.

Legado

Os Smiths influenciaram uma série de bandas de rock alternativo na carreira. Mesmo já em 1985, a “banda gerou uma onda de bandas imitador, incluindo James, que abriu para o grupo em sua turnê de primavera de 1985”. The Cranberries combinado “o barulho melódico de pós-Smiths guitar pop-indie com as texturas alegres, transe induzido sonora de dream pop fim dos anos 80, a criação de seu som com “triplamente, guitarras e repique de reposição, certas melodias.” Além disso, a banda utilizada como produtor Stephen Street, que era conhecido para “maximizar o mau humor dos Smiths”. The Cranberries fundida este som com letras que ecoou o apaixonado, o estilo literário de Morrissey. “livresco A cantora Smiths, ferozmente letras inteligentes também forneceu um modelo para o silêncio, a banda alfabetizados escocês . Belle & Sebastian “brincar Marr com a guitarra” era um bloco enorme edifício de lendas mais o Manchester que se seguiram The Smiths – The Stone Roses “, o guitarrista John Squire declarou que Marr foi uma grande influência, guitarrista do Oasis Noel. Gallagher chamou The Smiths uma influência, especialmente Marr, Gallagher afirmou que “quando a separação Jam, The Smiths começou, e eu fui totalmente para eles.”

Escrevendo em Q, em 2007, Simon Goddard afirmou: “… a única voz verdadeiramente vital dos anos 80, The Smiths eram o grupo mais influente guitarrista britânico da década, como os de fora indie primeiro a alcançar o sucesso mainstream em seus próprios termos. (seu segundo álbum próprio, 1985’s Meat Is Murder, fez o número 1 no Reino Unido), que elevou a fórmula do rock de quatro peças padrão para novos patamares de magia e poesia. legado deles pode ser traçada através dos Stone Roses, Oasis e The Libertines a safra de bandas de guitarra engenhoso jovens. “

O “movimento Britpop precedido por The Stone Roses e liderado por grupos como Oasis, Suede e Blur, pegou muito do retrato de Morrissey ea nostalgia de uma Inglaterra desolador urbanas do passado.” banda britpop Blur formado como um resultado da visão The Smiths na mostra do Banco do Sul em 1987. No entanto, apesar principais bandas do movimento Britpop alegou ser influenciado por The Smiths, as bandas de Britpop estavam em desacordo com as “filosofias anti-establishment do Morrissey e The Smiths”, desde o Britpop “era uma construção puramente comerciais”. No livro de Saint Morrissey, o autor afirma que Britpop “airbrush Morrissey fora do quadro … de modo que os anos noventa e da sua economia centralmente planificada e coordenada pop poderia acontecer.”

fase Dramaturgo Shaun Duggan’s drama de William, o romance de Douglas Coupland, de 1998 Girlfriend in a Coma, Andrew Collins autobiografia Heaven Knows I’m Miserable Now, novela Marc Spitz How Soon Is Never?, a banda pop Shakespears Sister, o grupo de art-punk extinta Pretty Girls Make Graves e curta-metragem do cineasta polonês Przemyslaw Wojcieszek de ficção sobre dois fãs poloneses do The Smiths, Louder Than Bombs, são todos o nome de músicas de The Smiths.

Uma informação: para os neófitos, que acabaram de descobrir o grupo e suas músicas, é muito comum surgir uma confusão sobre a música “Suedehead” (erroneamente chamada por muitos de “I’m so Sorry”): esta música nunca foi gravada pelos Smiths, mas sim pelo Morrissey. É o primeiro single de sua carreira solo.

Formação principal (1982–1987)

Morrissey – vocais, letras
Johnny Marr – guitarras, teclados, baixo
Andy Rourke – baixo
Mike Joyce – bateria

Outros membros

Dale Hibbert – baixo (1982)
Craig Gannon – guitarra de ritmo (1986)

Álbuns de estúdio

The Smiths (1984)
Meat Is Murder (1985)
The Queen Is Dead (1986)
Strangeways, Here We Come (1987)

Fonte: Wikipédia.

F o t o s

__________

V í d e o s

__________

Topo

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: