Raízes Aéreas

Led Zeppelin – Physical Graffiti – 1975

In Música pelo mundo, Sugestões de Álbuns on 9 de agosto de 2011 at 16:07

Physical Graffiti é o sexto álbum da banda britânica Led Zeppelin. O álbum duplo foi lançado em 24 de fevereiro de 1975. Foi o primeiro álbum editado pela “Swan Song Records” (editora criada pela banda), demonstra o máximo de suas habilidades, e o álbum aponta para vários estilos e influências. Physical Graffiti é frequentemente citado como um dos maiores álbuns de todos os tempos.

O álbum foi um sucesso de critica e público, alcançando o topo na lista da Billboard. Logo após o lançamento de Physical Graffiti, todos os álbuns lançados anteriormente pelo Led Zeppelin retornaram para lista dos 200 álbuns mais ouvidos.

A gravação do álbum

As sessões de gravação foram realizadas entre janeiro e fevereiro de 1974 em Headley Grange” foi gravada em Julho de 1970 na Island Studios. “The Rover” e “Black Country Woman” foi gravado na mesma sessão que “D’yer mak’er” em Stargroves usando o Estúdio Móvel dos Rolling Stones em maio de 1972. A música “Houses of the Holy” foi também gravada em Maio de 1972, mas no Olympic Studios. O álbum Houses of the Holy foi batizado baseando-se nesta canção.

As oito canções restantes foram gravadas durante as sessões para Physical Graffiti em 1974. Um aspecto interessante desse álbum é a forma como cada música parece se encaixar juntas na ordem em que são tocadas. O que surpreende é o fato de que as canções foram gravadas durante um período de quatro anos em estúdios diferentes.

Physical Graffiti demonstra a quase total adesão do Led ao rock progressivo, estilo esse que absorveu todos os grandes grupos de rock pesado surgidos em 69/70. A faixa “Down By The Seaside” poderia, por exemplo, ter sido lançada pelo Wings de Paul MacCartney, sem susto, pois ninguém perceberia tratar-se de uma composição do Led Zeppelin.

A capa

Trata-se da mais urbana (e misteriosa) das capas do Led Zeppelin. A foto do edifício (96 and 98 St. Mark’s Place – Nova Iorque) faz lembrar, ora o Dakota (onde John Lennon foi morto), ora a cena final de Taxi Driver (EUA-1976), inclusive com o sujeito (Jimmy Page?) sentado na escadaria. Na primeira coluna de janelas, no canto esquerdo, verticalmente, de cima para baixo, lê-se “PIG” (porco).Na terceira coluna de janelas, de cima para baixo, horizontalmente, da esquerda para a direita, lê-se “GRAF” (nome dado às diversas aeronaves no início do século XX, em homenagem a seu construtor). No interior, nota-se a presença de uma miscelânea de personalidades (o fauno Pã, santos e freiras, Neil Armstrong), incluindo os caras do Led e seu empresário Peter Grant.

Kashmir

Faixas

Disco 1

Custard Pie (Page/Plant) (4:13)
The Rover (Page/Plant) (5:36)
In My Time of Dying (Page/Plant/Jones/Bonham) (11:04)
Houses of the Holy (Page/Plant) (4:01)
Trampled Under Foot (Page/Plant/Jones) (5:35)
Kashmir (Page/Plant/Bonham) (8:31)

Disco 2

In The Light (Page/Plant/Jones) (8:44)
Bron-Yr-Aur (Page) (2:06)
Down by the Seaside (Page/Plant) (5:14)
Ten Years Gone (Page/Plant) (6:31)
Night Flight (Jones/Page/Plant) (3:36)
The Wanton Song (Page/Plant) (4:06)
Boogie with Stu (Bonham/Jones/Page/Plant/Stewart/Valens) (3:51)
Black Country Woman (Page/Plant) (4:24)
Sick Again (Page/Plant) (4:43)

Ten Years Gone

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: