Raízes Aéreas

HIM

In Música pelo mundo, Pitacos da Soraya Pamplona on 15 de junho de 2011 at 0:00

A história da banda HIM começa em 1991, quando Ville Valo e Migé Amour criam uma banda, os “Kafferi”. A banda era constituida por Ville (guitarra e vocal), Migé (baixo) e mais dois substitutos como bateristas – Juppi e Juha Tarvonen.

O primeiro concerto foi no Tavastia Club (Helsinki, Finlândia) em 1991. Os “Kafferi” fizeram uma demo intitulada “Xilga Xilga Besa Besa”, mas com o nome oficial de “Witches And Other Night Fears”. Trata-se de uma demo gravada em 1992 e, por razões desconhecidas, nunca viu a luz do dia. Ville Valo possui a única cópia conhecida.

Linde junta-se à banda após mudar-se para a mesma escola que Ville e Migé. Linde tocava guitarra e baixo, enquanto Ville permanecia nos vocais e tocando bateria. Juntos Linde e Ville criaram algumas letras. A banda gravou três faixas demos em um famoso estúdio (hoje demolido). A demo incluía a música “Serpent Ride”, “The Heartless” e “Borellus”. Depois Ville e Linde continuaram a criar mais letras para a banda.

Em 1995 fizeram juntos outra demo que incluía a música “Stigmata Diaboli”, “The Phantom Gate” e “Wicked Game”. Agora com um caminho traçado para o sucesso eles tinham que decidir o nome oficial da banda.

Depois das demos terem sido lançadas. Migé retorna a banda, junto com Pattaka Rantala. Agora ficava Ville no vocal, Linde na guitarra, Migé no baixo e Pattaka Rantala (Juhana Tuamos Rantala) na bateria.

Ville, Linde e Migé ficaram impressionados com o estilo que Pattaka tocava. Após terem conseguido o número de seu telefone, Ville contratou Patakka para tocar algumas demos para eles. Assim Pattaka se tornou o novo baterista do HIM.

Mas faltava algo, e assim, Antto Eirian Melasniemi era o “tapa buraco” da banda.

Antto já tinha conexões com Ville através de seu irmão Joel Melasniemi, que tinha sido membro da banda Donits Osmo Experience. Antto não planejou ser membro do HIM, mas ele aderiu essa tarefa nova em sua vida. A adesão de Antto na banda, pode também ter sido um erro em alguns aspectos. A sua estadia no HIM não foi tão frutuosa, apesar de estar presente no vídeo de “Wicked Game”, Antto só aparece brevemente. O produtor não tinha conhecimento que um tecladista existia na banda e por esse motivo foi deixado de fora. Ele só foi creditado como membro dos HIM na participação do álbum “Greatest Love Songs Vol. 666” em 1998, mas vários problemas levaram à sua saída. A principal razão foi o atrito que teve com Ville. Antto não era uma pessoa organizada e isto levou a frequentes brigas entre eles, pois sua aparente preguiça não era mais tolerada.

Em 1995, ano em que se consideraria realmente o início da banda, quando os seus integrantes foram libertos do serviço militar, a formação contava com Valo como baixista, que se juntou a Linde, Migé Amour, Antto Melasniemi e Pätkä. Mas ao não precisar de dois baixistas e sendo Valo a compor as músicas, passou a ser o vocalista da banda. Nesse ano, foi lançado “This Is Only the Beginning”, na Finlândia. Num momento inicial, a banda se chamou “His Infernal Majesty”, mas cortaram o seu nome para o actual, HIM, devido à associação do seu nome com rituais satânicos e pela dificuldade dos seus conterrâneos em pronunciar o extenso nome.

“666 Ways to Love: Prologue” foi lançado em 1996, unicamente na Finlândia e só foram vendidas 1000 cópias desse álbum . A mulher na capa diz-se que é a mãe de Valo. Foi produzido por Hiili Hiilesmaa, e foi gravado nos estúdios Finnvox Studios, MD and Peacemakers, em Helsínquia.

A banda lançou o seu primeiro álbum de estúdio, “Greatest Love Songs Vol. 666”, a 20 de Novembro de 1997. Conta com o cover de Chris Isaak, “Wicked Game” e o de Blue Öyster Cult, “(Don’t Fear) The Reaper”. De este álbum lançaram-se 4 singles e também foi produzido por Hiili Hiilesmaa e gravado nos mesmos estúdios que o EP “666 Ways to Love: Prologue”. Sanna-June Hyde e Asta Hannula, foram as vozes convidadas em “(Don´t Fear) The Reaper” e “For You”, respectivamente. Foi lançada uma versão digipak com “For You” como primeira faixa do CD. Outra edição especial foi lançada na Alemanha com uma faixa de bónus, “Sigillum Diaboli”, tirado de “666 Ways to Love: Prologue”. Em consonância com o tema do 666, o álbum tem uma duração de 66:06 e contém um total de 66 faixas (56 das quais sem som). Na faixa 66, aos 6 minutos, ouve-se o outro de “The Heartless” de “666 Ways to Love: Prologue”.

A faixa chama-se “HIM 666,” ou “666” ou “Dark Circle”. Apesar de por vezes se perceberem referências ao culto de Satanás, Valo negou que o álbum tenha tais referências.

Todas as faixas do álbum já foram interpretadas ao vivo nos seus concertos, mas algumas como “The Beginning of the End”, “For you” e “Our Diabolikal Rapture”, já não estão nas suas setlists há vários anos.

Após o “Greatest Love Songs Vol. 666”, Antto saiu da banda e nunca mais voltou.
Outro golpe para o HIM foi a saída de Pattaka após Antto em Dezembro de 1998. Sua partida foi devido a sua namorada engravidar e seus problemas com álcool. Patataka não tinha sido informado de sua demissão da banda, até que ele ouviu pessoalmente isso de algum membro da banda, seguido por muitos anos de amargura. Mas hoje esses sentimentos não duram mais.
Agora o HIM necessitava preencher os espaços e recrutar um baterista e um tecladista. O HIM só conseguiu preencher esse vazio com Mikka Kristian Karpinen (Gas Lipstick) na bateria e Jussi Salminen (Zoltan Pluto) nos teclados.

Zoltan era um grande fã do HIM e queria desesperadamente ser um membro da banda. Ville mostrou o que ele deveria fazer e assim tornou-se parte da banda. Depois de muitos ensaios a tour do novo álbum começou.

Gas Lipstick tinha sido membro de muitas bandas e sua experiência fez com que se tornasse o baterista dos HIM.

Razorblade Romance (1999-2001)

Depois de ganhar popularidade na Europa, sobretudo no seu país, foi lançado um segundo álbum em 1999, intitulado “Razorblade Romance”. É nesta altura que a popularidade da banda dispara. O seu single “Join Me In Death” alcançou o número 1 nas listas de música alemãs, vendendo mais de 500.000 cópias em dois meses.

“ Join Me In Death” foi utilizada na banda sonora da versão europeia do filme “The Thirteenth Floor” e mais tarde foi usada no filme “Resident Evil: Apocalypse”.

Depois deste single, foram lançados mais dois na Alemanha, “Right Here in My Arms” e “Gone With the Sin”, que alcançaram a 20ª e 19ª posições nas listas, respectivamente. Nesta época também começaram a ser mais conhecidos noutras partes da Europa, como no Reino Unido. O álbum chegou a ser o 1º em vendas tanto na Alemanha como na sua nativa Finlândia.

O título original de “Razorblade Romance” era, de fato, “Slippery When Dead” como um tributo a Slippery When Wet de Bon Jovi. Uma demo deste período de gravações saiu para a Internet, em 2004, entitulada “Too Happy To Be Alive”. Alguns fãs dizem que pode ser comparada com outra canção de “Razorblade Romance”, “Death Is In Love With Us”. Foi usada uma caixa de ritmos neste período, visto que Pätkä tinha deixado a banda, tendo sido substituído por Gas Lipstik.

Em 2000, Zoltan Pluto também abandona a banda, ingressando Emmerson Burton no seu lugar.
Em 2002, “Razorblade Romance” foi relançado e posto à venda nos Estados Unidos. Não foi permitido à banda usar o seu nome por causa da banda americana HiM, que possuía os direitos sobre esse nome. Portanto, a banda alterou o seu nome para HER (Her Evil Royalty) nos Estados Unidos. Finalmente, puderam comprar todos os direitos sobre o nome “HIM”, e as cópias do álbum começaram a ser fabricados com esse nome. Só existem 1000 cópias do álbum com o nome HER , convertendo-se num artigo de coleção entre os aficcionados.

Deep Shadows and

Brilliant Highlights (2001-2003)

Durante o ano de 2001, antes de lançarem o seu terceiro trabalho, formaram uma nova banda, “Daniel Lioneye And The Rollers”. Saiu como um projeto a solo do guitarrista Linde (como Daniel Lioneye), o qual era o vocalista. O estilo musical que se produz nesse álbum é hard-blues e rock, com temas como o sexo, o álcool e o rock ‘n’ roll, muito diferente das letras românticas dos HIM. Migé Amour tocava o baixo, Ville Valo a bateria, com Hiili Hiilesma nos teclados, e Ike nos efeitos sonoros. Lançaram um álbum, “The King of Rock’n Roll”, em Setembro de 2001, e o conjunto só realizou 4 concertos.

Depois deste projecto, foi lançado “Deep Shadows And Brilliant Highlights”, em Agosto de 2001. Este foi o primeiro disco da banda com Emmerson Burton. Uma vez mais o álbum alcançou o número 1 no seu país, o que os tornou na banda mais bem sucedida no seu país, desde os Hanoi Rocks nos anos 80. Conseguiu também a segunda posição na lista de vendas alemã.

Foram lançados três singles deste álbum: “Pretending” (que alcançou o número 10 na Alemanha), “In Joy and Sorrow” e um single duplo com “Heartache Every Moment” e “Close to the Flame”. Tal êxito foi facilitando a sua aparição progressiva nas principais rádios.

Como no álbum anterior, também houve problemas em dar um título a “Deep Shadows And Brilliant Highlights”. No princípio queriam que se entitulasse “Ozzymandias Dargunum” e que contivesse 14 faixas. As demos foram gravadas em 2000 em Hollola.

Em Novembro de 2001, o número total de vendas foi de quase 400.000 cópias.

Love Metal (2003-2005)

Em 14 de Abril de 2003, HIM lançou “Love Metal”. Este foi o primeiro álbum em que Valo não aparecia na capa. No seu lugar figurava um heartagram dourado. “The Funeral of Hearts” foi o primeiro single e a sua primeira aparição nas listas de êxitos do Reino Unido ficou em 14º lugar, e conseguiu a 3ª posição na Alemanha. Foi seguido por “Buried Alive by Love” e “The Sacrament”.

Durante a promoção do álbum “Love Metal”, o grupo tornou-se mais conhecido nos Estados Unidos e internacionalmente quando o skater profissional e personalidade televisiva, Bam Margera começou a utilizar o heartagram e a promovê-los, em grande escala, na sua série da MTV, Viva La Bam. Margera realizou e produziu os vídeos de “Buried Alive by Love”, que incluiu a aparição da atriz Juliette Lewis, assim como o vídeo de “The Sacrament”.

“Love Metal” foi tocado na sua totalidade em 8 de Março de 2003 no Grosse Freiheit Club, em Hamburgo, um mês antes do seu lançamento. A única faixa que não tocaram foi “Love’s Requiem”, já que não tinha sido incluida na versão original do álbum, mas nas versões digipak. Os bilhetes estavam à venda na sua página web oficial e foram vendidas em poucos dias. Ville foi quem teve a ideia de dar este “presente” aos fãs. O concerto foi incluido em versões não oficiais, vídeo e áudio bootlegs, com o nome de “Buried Alive” ou “Love Metal Live”.

Em 2003, atuaram no Download Festival, em Inglaterra, no segundo palco com The Hellacopters, e no ano seguinte foram cabeça de cartaz do mesmo festival. A 30 de Maio de 2003, atuaram no Festimad, no mesmo palco que El Lago, com Marilyn Manson e Evanescence.

Em 2004, saiu “And Love Said No: Greatest Hits 1997-2004”, o primeiro álbum de êxitos dos HIM. Contém duas canções inéditas: “And Love Said No” e “Solitary Man”, a última das quais é um cover de Neil Diamond, cujos videos também foram dirigidos por Bam Margera. Também conta com uma versão regravada de “When Love and Death Embrace” e a versão britânica também contém outra de “It’s All Tears (Drown in this Love)”. A versão digipak deste álbum contém um DVD com 6 canções ao vivo do Semifinal Club de Helsínquia.

Dark Light (2005-2007)

Em 2005, HIM editou o seu quinto álbum de originais, “Dark Light”, que foi editado agora pela Warner. A decisão de mudar de editora foi que a BMG no Japão, Estados Unidos, Nova Zelândia e Canadá nunca editaram nenhum álbum da banda, daí a necessidade de mudar e expandir o trabalho. O primeiro single “Rip Out The Wings Of A Butterfly” chegou ao número 19 nas paradas de Modern Rock da Billboard. “Dark Light” então chegou à marca de 500.000 cópias vendidas somente nos EUA e vendeu mais de 900.000 cópias no mundo inteiro, se transformando na primeira e única banda finlandesa a conseguir disco de ouro nos Estados Unidos. Kat Von D aparece na versão americana do vídeo de “Killing Loneliness” tatuando os olhos de Edgar Allan Poe nas costas de Ville Valo. No Verão de 2005 tocaram no palco principal do Download Festival junto a Black Sabbath e Velvet Revolver.

O êxito “Dark Light” também permitiu que álbums anteriores (incluindo “Love Metal”) fossem reeditados nos Estados Unidos. Em Outubro de 2006, a página web oficial da banda anuncia que “Dark Light” atingiu o Ouro nos Estados Unidos. Isto tornou-os a primeira banda finlandesa a vender mais de 500.000 discos nos Estados Unidos.

Durante a sua tour para promover “Dark Light”, Migé e Burton escreveram uma canção juntos chamada “Plasma Mullet” que é completamente diferente dos seus outros trabalhos e não está em nenhuma publicação oficial da banda. A única vez que foi ouvida pelo público foi no espaço de meia hora que o skater Bam Margera tem na Sirius Satellite Radio ou em vários concertos depois da sua actuação.
“Uneasy Listening Vol. 1”, o seu segundo álbum recompilatório, saiu em 2006. A compilação contém 15 versões das canções mais suaves de HIM como “In Joy and Sorrow”, “The Sacrament”, “Gone With The Sin” e “One Last Time”.

A este disco seguiu-se “Uneasy Listening Vol. 2”, em 2007. Contém 14 temas, que exemplificam o lado mais pesado de HIM. Estes incluem o cover de Black Sabbath “Hand of Doom”, um remix de “Sigillum Diaboli”, uma versão ao vido de “Right Here in My Arms” e um remix de Turbonegro, “Rendezvous with Anus”. Também contém a tão procurada versão de “Buried Alive by Love”, que inicialmente só apareceu no DVD de CKY4.

O ano de 2006 não podemos dizer que foi um dos melhores, pois vários problemas abalaram a banda e principalmente Ville, que não estava bem consigo mesmo e nem com o desempenho da banda. Os seus problemas quase fizeram com que a banda se separasse e assim, passando por problemas de relacionamento com sua ex-namorada, Jonna Nygren, bebidas, crises de asma, ataques de pânico, depressão e aguentando desconhecidos colocando substâncias ilícitas em suas bebidas, 2007 foi um ano para “limpeza” de Ville, que passou 28 dias internado numa famosa clinica de reabilitação em Malibu. Numa entrevista para a revista eletrónica britânica Rock Sound ele disse “Foi um exercício de paciência por uns dias. Eu tremia muito”, ele explica, “mas finalmente pude me reencontrar com minhas emoções, já que não ficava sóbrio há muito tempo – pelos últimos 10 anos. Eu tenho dormido como um bebé pela primeira vez em 15 anos!”.

Venus Doom (2007)

“Venus Doom” foi lançado em Setembro de 2007. A capa do CD é uma pintura de David Harouni que Ville comprou numa galeria de arte em Nova Orleans. O primeiro single foi “The Kiss Of Dawn” (que Ville compôs em homenagem a um amigo que se suicidou em 2005). Apenas uma semana após o lançamento, o CD já havia chegado à marca de 150 mil cópias vendidas.

No “Give It A Name Festival’07”, os HIM tocaram uma das novas canções, “Dead Lovers’ Lane”. Este disco conta com a canção mais longa do grupo até ao momento com uma duração de 10:02 (“Sleepwalking Past Hope”), assim como a mais curta com 1:11 minutos de duração (“Song or Suicide”). Venus Doom está principalmente orientado para a guitarra com uma pronunciada falta de teclados. A canção “Passion’s Killing Floor” está na banda sonora de Transformers. O primeiro single foi “The Kiss of Dawn”, que se converteu num elemento básico na maioria das suas actuações ao vivo, assim como “Passion’s Killing Floor”, “Dead Lovers’ Lane” e a épica “Sleepwalking Past Hope”. O vídeo de “The Kiss of Dawn” foi escrito e dirigido por Meiert Avis, o seguinte single foi “Bleed Well” também dirigido por Avis.

Na 50ª edição dos Grammys, Matt Taylor e Ville Valo foram nomeados para “Melhor Box / Edição Especial Limitada” por “Venus Doom”. “Venus Doom” não ganhou. O prémio foi para “What It Is!: Funky Soul and Rare Grooves (1967–1977)” (realizados por diversos artistas e obras de Masaki Koike).
“Digital Versatile Doom”, é o primeiro DVD / CD oficial ao vivo de HIM. Estava previsto o seu lançamento a 1 de Abril de 2008, mas foi atrasado para 29 de Abril. Conta com uma actuação ao vivo no “The Orpheum Theater” de Los Angeles, assim como imagens do backstage. Também figuram no DVD, o encontro dos vencedores do concurso “HIM’s biggest fans competition” com a banda em Seattle. Em 1 de Fevereiro de 2008 saiu uma edição especial, que contém um flipbook de edição limitada com imagens da actuação ao vivo de “Sleepwalking Past Hope” nesse concerto.

Em Julho de 2007 e Junho de 2008, participaram no Projekt Revolution, concerto anual liderado por Linkin Park. Também actuaram no festival Ankkarock (Finlândia), Download Festival (Inglaterra), entre outros.

Em 2008, HIM cumpre o 10º aniversario dos tradicionais concertos de Ano Novo no Tavastia Club de Helsínquia, que desde 2005 passou a ser o festival Helldone, em que para além de HIM, actuaram outras bandas como The 69 Eyes, Negative e muitas mais bandas finlandesas e do Reino Unido como Fields of the Nephilim.

Estilo

O estilo dos HIM é muito debatido e é denominado por “love metal” por Valo e os fãs da banda. Ville Valo delarou que a banda começou como uma espécie de banda tributo a Black Sabbath . Numa entrevista do DVD Love Metal Archives Vol. I, Valo declara que ele e o resto da banda estavam fartos que os jornalistas lhes perguntassem qual era o estilo da banda, pelo que criaram o “love metal” (que também é o nome do seu álbum de 2003). Os críticos catalogaram-nos como rock alternativo, metal gótico ou rock gótico. O seu estilo musical varia dependendo das canções e álbums.

Curiosidades

No início a banda se chamava “His Infernal Majesty”, mas modificaram para HIM, pela dificuldade que os finlandeses possuem na pronúncia.
Ville no seu 20° aniversário criou o “Heartagram”, um coração no meio de um pentagrama, seu significado é “junção de amor e ódio, o céu e o inferno”, o símbolo ficou como sendo símbolo oficial da banda.

Membros atuais

Ville Valo — vocal
Mikko “Linde” Lindström — guitarra
Mikko “Mige” Paananen — baixo
Mika “Gas Lipstick” Karppinen — bateria
Janne “Emerson Burton” Puurtinen — teclado

Ex-membros

 Juhana “Pätkä” Rantala — bateria
Antto Melasniemi — teclado
Zoltan Pluto — teclado

Álbuns de estúdio

1997 — Greatest Love Songs Vol. 666
1999 — Razorblade Romance
2001 — Deep Shadows and Brilliant Highlights
2003 — Love Metal
2005 — Dark Light
2007 — Venus Doom
2010 — Screamworks: Love in Theory and Practice

Videos

__________________________

Fotos

__________________________

______________

Topo

_______

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: