Raízes Aéreas

Sharon Jones

In Música pelo mundo, Pitacos da Soraya Pamplona on 23 de março de 2011 at 8:00

Sharon Jones é puramente a velha-guarda da soul music. Possui uma voz potente, de alcance profundo, que utiliza para buscar uma certa pureza perdida do soul, timbres que remetem aos clássicos dos selos Motown e Stax.

Produção de soul music como era feita nos anos 60 e 70, sem equipamentos digitais ou eletrônicos, tudo simplesmente com instrumentos analógicos. No estúdio ainda gravam em fita, com os instrumentos gravados todos juntos, ao vivo. É a diferença, sem sintetizadores, softwares, nada disso. Assim como era Otis Redding, Etta James, James Brown e todos os outros grandes. Sharon Jones nasceu em maio de 1956, na Geórgia (EUA). Mudou-se para Nova York ainda criança e começou a cantar em corais de igreja.

Na adolescência, foi backing vocal de bandas de funk e disco. Desde aquela época, já era fanática por soul music. “Eu cresci ouvindo tudo de soul music: Motown, Stax, James Brown… Quando me perguntam como faço minha música hoje, respondo: “É porque eu cresci no meio disso”.”

Nos anos 70, emprestou a voz a diversos artistas e bandas, mas não conseguiu contrato para disco próprio. “Ninguém me aceitava na indústria da música. Diziam que eu era muito negra, que eu era muito gorda… Diziam que eu era muito nova, que não era bonita o suficiente”, relembra.

Aos 25 anos, considerada relativamente velha para a industria, resolveu fazer outras coisas. Entre essas coisas, estão dois anos como carcereira na penitenciária de Ryker’s Island, em Nova York, e um período como segurança de carro-forte do Wells Fargo Bank, também em Nova York. Fez um teste para a polícia, novamente considerada velha, começou a trabalhar na prisão: “Foi uma grande experiência, fiquei lá por dois anos. Depois fui segurança em carro-forte. Trabalhava armada, colocando dinheiro em caixas eletrônicos. Só depois encontrei os caras da Desco.”

Em 1996, dois produtores da Desco Records se preparavam para gravar um disco com Lee Fields. Então ali, Sharon Jones reencontrou a indústria da música.

Na época, os Dap-Kings chamavam-se Soul Providers e tocariam naquele disco. O ex-marido de Sharon tocava saxofone no grupo e os produtores queriam três garotas para fazer vocal de apoio, o ex-marido de Jones a indicou: “Eu disse a eles: “Por que usar três garotas se eu posso fazer isso sozinha?’”.

E assim a carreira de Jones finalmente tomou rumo. De lá para cá, a Desco Records deu lugar à Daptone Records, selo que funciona como uma família nos moldes da Motown. Aos 51 anos, finalmente se tornou um nome conhecido, curiosamente após Mark Ronson (produtor de Winehouse) ir atrás de Jones para confeccionar seu pop com forte sotaque da soul music dos anos 1960. Após ouvir discos de Jones, Winehouse e o produtor Mark Ronson foram até Nova York e contrataram os Dap-Kings, a banda de Jones, para tocar no disco “Back to Black”, de 2006.

“Aquela é nossa música, mas não é para nós… Quem sabe no ano que vem nós é que estaremos lá…”, disse Sharon dois dias antes da premiação do Grammy. Ao perceberem o som único de Jones e os Dap-Kings, Ronson e Amy os chamaram para tocar com eles.

Sharon nem um pouco enciumada, ficou orgulhosa da repercussão de sua musica. Até chegar a Amy Winehouse e a “100 Days, 100 Nights” (2007), seu terceiro e mais recente disco com os Dap-Kings, a história de Jones passou por igrejas e por empregos como carcereira de prisão e segurança de carro-forte. Antes do “fator Amy Winehouse”, Sharon Jones e os Dap-Kings gravaram pela Daptone dois álbuns: “Dap Dippin” with Sharon Jones & the Dap-Kings” (2001) e “Naturally” (2005). Depois, veio o elogiado “100 Days, 100 Nights” (2007).

Discografia

Dap Dippin’ with Sharon Jones and the Dap-Kings (2002)
Naturally (2005)
100 Days, 100 Nights (2007)
I Learned the Hard Way (2010)
Soul Time! (2011)
Give the People What They Want (2014)

Fonte biográfica: Wikipédia.
Atualizado em 30/11/2014.

Vídeos

__________

This Land Is Your Land
How Long Do I Have To Wait For You?
100 Days, 100 Nights
Stranger to My Happiness
Retreat!
Something's Changed
Long Time, Wrong Time
We Get Along
People Don't Get What They Deserve
Get Up and Get Out

Fotos

__________

Topo

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: