Raízes Aéreas

Train

In Música pelo mundo on 27 de dezembro de 2010 at 17:06

Train é uma banda de rock norte-americana de São Francisco, Califórnia, formada em 1994. A banda atualmente é composta pelo trio Patrick Monahan (vocal), Jimmy Stafford (guitarra, vocal de apoio) e Scott Underwood (bateria, percussão). Train, cujo a formação original contava com Rob Hotchkiss e Charlie Colin, assim como Monahan, Stafford e Underwood, alcançou o sucesso com seu álbum de estréia auto-intitulado, que foi lançado em 1998 com o hit “Meet Virginia”. O segundo álbum, Drops of Jupiter (2001) deu a banda ainda mais popularidade. O single “Drops of Jupiter (Tell Me)”, se tornou um hit internacional e venceu dois Grammys em 2002. O álbum recebeu duas certificações de platina nos Estados Unidos e no Canadá e continua como o álbum mais bem sucedido comercialmente lançado pela banda.

O terceiro álbum de estúdio do grupo, My Private Nation, lançado em 2003, repetiu o sucesso dos outros CDs e foi certificado platina nos Estados Unidos com a canção hit “Calling All Angels”. Depois da saida de Hotchkiss e Colin, o Train lançou seu quarto álbum, For Me, It’s You em 2006, com Johnny Colt no baixo e Brandon Bush no teclado. Apesar de ter sido bem recebido pelos críticos, o disco não foi um grande sucesso comercial. Eles então entraram em hiatus por três anos.

Retornando à ativa em 2009 com o álbum Save Me, San Francisco, Train retornou ao sucesso de outrora lançando três singles de enorme de sucesso internacional – o single seis vezes multi-Platinado pela RIAA, “Hey, Soul Sister”, e as canções “If It’s Love” e “Marry Me”. O álbum também foi certificado como disco de ouro nos Estados Unidos depois de vender mais de 500 mil cópias naquele país. Este CD também foi um sucesso comercial no Reino Unido, na Austrália e na Nova Zelândia.

Em 2012, a banda lançou seu sexto álbum de estúdio, o California 37. A canção “Drive By” se tornou o primeiro single deste disco e foi um enorme sucesso comercial.

Nos últimos 15 anos, Train deixou a sua marca na história da música com a música “Drops of Jupiter (Tell Me)” , vencedora de um prêmio Grammy e os singles “Meet Virginia” e “Calling All Angels”, que chegaram ao topo das paradas de sucesso. Desde a sua formação em São Francisco em 1994, a banda multiplatinada realizou viagens longas, bem sucedidas e às vezes, duras. Depois do lançamento de 2006 release, For Me, It’s You, a banda resolveu fazer uma pausa de três anos e nesse meio tempo, Train experimentou aquilo que só pode ser chamado de uma epifania. Agora, com o quinto álbum, Save Me San Francisco, Train revisitou o passado, as suas raízes roqueiras que fizeram da banda uma força musical impressionante e, por sua vez, ficou ainda mais unida. “Acho que o tempo e a distância entre os membros da banda só fizeram aumentar as saudades,” diz o frontman Pat Monahan sobre o break. “A gente se deu conta do quanto éramos importantes uns para os outros e o intervalo de alguns anos ajudou para que todos pudessem fazer uma auto-análise franca e pensar em como poderiam contribuir e não no que poderiam tirar da banda.”

Olhando em retrospecto, Train atribui à cidade de São Francisco a criação da identidade e base da banda. Por isso, não chega a ser surpresa que a faixa título do álbum seja uma homenagem à metrópole da Bay Area que a banda tanto ama. “Devemos muito a São Francisco porque ela nos recebeu de volta quando não precisava e mais ninguém teria recebido,” explica Monahan. “No fundo, este álbum é o nosso jeito de homenagear, agradecer e também admitir que a gente precisa que São Francisco diga OK para a banda antes de qualquer outra pessoa. Foram os melhores momentos de nossas vidas – apesar de ninguém saber disso na época – quando vivemos em São Francisco e lutamos para que a banda fosse um sucesso.”

“Save Me San Francisco” é um relato autobiográfico sobre o começo do Train e personifica não apenas o espírito do álbum, mas também a alma do Train como banda. A letra da música levam o ouvinte do começo humilde dos três músicos em meados dos anos 90 até o momento em que Monahan, em particular, deixou a São Francisco. “Tem tudo a ver com a minha vida, mas Jimmy, Scott e eu passamos por muita coisa juntos nos últimos 14-15 anos, por isso representa muito para eles também, porque eles não vivem mais em São Francisco e todos nós sentimos falta da cidade.”

Faz sentido que o foco de Save Me San Francisco seja tão simples quanto o som do álbum. Monahan explorou o eterno conceito de amor através de suas letras autorais e como ele diz, o álbum é “sobre amor de todas as formas possíveis.”

“Há certas músicas que em vez de haver uma intenção, é como se tivessem um tema,” ele conta. “Acho que grande parte do que escrevi não foi assim, ‘Puxa, isso me faz lembrar de uma situação que passei,’ mas mais como vejo certas coisas na vida, seja do meu ponto de vista ou do ponto de vista de outra pessoa.” Nos dias de hoje, artistas com carreira longa são raros e depois de uma década e meia como banda, Train está pronta para mostrar uma das obras mais fortes de sua história. Monahan reconhece as realizações da banda e, como ele mesmo diz claramente, está mais do que grato pelo sucesso que a banda tem experimentado. Contudo, sendo uma banda tão perfeccionista quanto Train, Monahan ainda mantém metas altas e muitas esperanças de que os fãs da banda gostem do novo álbum.

“Ainda me lembro de como é pintar casas,” ele conta. “Eu me divertia porque adorava as pessoas com quem trabalhava, mas na verdade, não é o que eu quero fazer – não porque seja um trabalho menor, nada disso, mas porque quando estou no palco me sinto muito mais ligado àquilo que penso ser quem eu realmente sou. Eu só quero ficar ligado no melhor que eu posso fazer e acredito que isso só pode ser através da música. Por isso, nunca vou querer deixar de lotar o Madison Square Garden, então os meus objetivos são muito simples, mas também bastante ambiciosos. Acho que os fãs da banda Train que nos apoiaram durante os momentos bons e os momentos ruins fazem parte de tudo. Eles adoram algumas músicas e não gostam tanto de outras músicas, mas com certeza vão adorar este álbum – acho que muito mais do que os outros.”

Formação

Patrick Monahan (vocal)
Jimmy Stafford (guitarra, vocal de apoio)
Scott Underwood (bateria, percussão)

Álbuns

Train (1998)
Drops of Jupiter (2001)
My Private Nation (2003)
For Me, It’s You (2006)
Save Me, San Francisco (2009)
California 37 (2012)
Bulletproof Picasso (2014)

Fonte da Bio: Wikipédia e Website da banda.
Atualizado em 9/08/2014.

Vídeos

__________

Hey, Soul Sister
Drops of Jupiter
Meet Virginia
If It's Love
Calling All Angels
Angel In Blue Jeans
I Got You, House of Blues
Parachute
This Ain't Goodbye
Marry Me

Fotos

__________

Topo

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: